Loading...

Viriato Clemente da Cruz


Votos de UtilizadoresVotos de UtilizadoresVotos de UtilizadoresVotos de UtilizadoresVotos de Utilizadores
Seja o primeiro a votar, clique na pontuação que deseja atribuír. Registe-se para votar.
1928 - 1973

Biografia

Viriato Francisco Clemente da Cruz (Porto Amboim, 25 de março de 1928 até Pequim, República Popular da China, 13 de junho de 1973) foi considerado um importante impulsionador de uma poesia angolana, nas décadas de 1940, 1950 e 1960, e um dos líderes da luta pela libertação de Angola.

Viriato cresceu numa família em situação económica difícil, uma vez que o seu pai o tinha abandonado. Apesar destas dificuldades, fez estudos liceais no Liceu Salvador Correia. Nos anos 1950 esteve em contacto com a movimentação anticolonial clandestina em Luanda, incluindo o Partido Comunista Angolano (PCA), fundado naquela altura. Abandonou Angola por volta de 1957 para se dirigir a Paris onde se encontrou com Mário Pinto de Andrade, desenvolvendo atividades políticas e culturais.
A primeira digressão pela China Continental foi em novembro de 1958, e durou 3 semanas. Tanto Viriato da Cruz e Mário Pinto de Andrade foram a Pequim, Xangai e Guangzhou (Cantão).
Tal como Mário Pinto de Andrade, Viriato participou na fundação, no exterior de Angola, do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), em 1960, tornando-se o seu secretário-geral. Nesta capacidade fez parte de uma delegação da recém-formada FRAIN (Frente Revolucionária Africana pela Independência Nacional dos Povos sob Domínio Português) que, ainda em agosto de 1960, fez uma viagem à China para obter apoios. Este foi um passo fundamental para Viriato da Cruz. Ele trouxe dinheiro que ajudou a nível político-militar e financeiro o MPLA.
Em 1962, Viriato da Cruz abandonou o cargo de secretário-geral do MPLA, devido a insanáveis divergências com o presidente do movimento, Agostinho Neto, e foi formalmente expulso, em 1963.
Nos dias 24 e 30 de abril de 1963, Viriato da Cruz participou na Conferência de Jornalistas Afro-Asiáticos, patrocinada pelos regimes de Ahmed Sukarno e Mao Zedong, que levou à fundação da respectiva associação, que excluía propositamente a União Soviética, recorrendo ao argumento que eram "brancos". Por outras palavras, ajudou a instituir mais um organismo rival criado pela China Continental, contra a União Soviética. Viriato integrou a mesa da presidência da reunião, em representação de Angola.



Comentários

Precisa de se registar para aceder aos comentários.

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 43.31 %
Poesia 17.83 %
Também Escrevo 14.65 %
Escritores 11.46 %
Pensamentos 4.46 %
Adivinhas 2.55 %
Editoras 2.55 %
Provérbios 1.91 %
Vídeos 1.27 %

157 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2778 autores e 6789 obras.