Loading...

Sophia de Mello Breyner Andresen


Votos de UtilizadoresVotos de UtilizadoresVotos de UtilizadoresVotos de UtilizadoresVotos de Utilizadores
Com 4 voto(s). Registe-se para votar.
1919 - 2004

Biografia

A sua infância e adolescência passaram-se entre o Porto e Lisboa, onde frequentou o curso de Filologia Clássica. Após o casamento com o advogado Francisco de Sousa Tavares, fixa-se em Lisboa, passando a dividir a sua actividade entre a poesia e a intervenção cívica contra a ditadura de Salazar, que então dominava o país. As duas actividades não são, no entanto, separáveis: se, por um lado, foi candidata pela Oposição Democrática nas eleições legislativas de 1969, sócia fundadora da Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos e, após a Revolução de Abril de 1974, deputada à Assembleia Constituinte pelo Partido Socialista, a poesia ergue-se também como uma voz da liberdade, especialmente em O Livro Sexto.

Contemporânea de Jorge de Sena, Eugénio de Andrade, Alexandre O’Neill, Tomaz Kim, José Blanc de Portugal, Ruy Cinatti, António Ramos Rosa, David Mourão-Ferreira, fez parte da geração de Cadernos de Poesia (1940-42) e colaborou também na Távola Redonda (1950-54) e na Árvore (1951-53), o que a identifica com uma prática poética que afirma um ideal de modernidade, mas que nessa afirmação valoriza acima de tudo a busca do mistério poético, aí, e só aí, se inscrevendo um sistemático trabalho de depuração formal. Sophia é um dos expoentes de uma poesia onde o culto das técnicas de expressão só em função daquela busca e sua simultânea celebração ganha sentido, nunca enquanto mera representação do real como acontecera com a geração precedente que deu corpo ao ideal neo-realista, nem como mero jogo de intuições poéticas imediatas, como o foi em grande parte a poesia surrealista que igualmente se afirmou por esses anos. Nesse sentido, esta é, no seu equilíbrio de conceitos e procedimentos, uma poesia naturalmente humana e por isso clássica no seu modo de ser moderna.

Profundamente mediterrânica na sua tonalidade, a linguagem poética de Sophia de Mello Breyner denota uma sólida cultura clássica, onde se inscreve a sua paixão pela cultura grega como referente quase sempre presente e onde a relação do signo com o mundo circundante é uma relação de transparência e luminosidade. O ritmo, a construção melódica é expressão desse equilíbrio como o é da tensão – que por isso deixa de o ser – entre a vocação pura, emocional, e o seu modo reflectido, contido, de se escrever. A inspiração poética confunde-se, por outro lado, em Sophia, com o registo e o canto das coisas lisas e essenciais, um registo de imanência, e isso lhe confere uma espécie de magia. Luz, verticalidade e magia estão, aliás, quase sempre presentes na obra de Sophia: quer na obra poética, quer na importante obra para crianças que, inicialmente destinada aos seus cinco filhos, rapidamente se transformou num clássico da literatura infantil em Portugal, marcando sucessivas gerações de jovens leitores com títulos como O Rapaz de Bronze, A Fada Oriana ou A Menina do Mar.

Sophia é ainda tradutora para português de Anunciação a Maria, de Claudel, “Purgatório” da Commedia de Dante (com prefácio do Prof. Vieira de Almeida), Hamlet e Muito Barulho por Nada, de Shakespeare, Medeia, de Eurípedes, e Ser Feliz e Um Amigo, de Leit Kristianson; e traduziu para francês poemas de Camões, Cesário Verde, Mário de Sá-Carneiro e Fernando Pessoa.

Livros escritos por Sophia de Mello Breyner Andresen

O Cavaleiro da Dinamarca (2014)

Dia do Mar (2014)

Obra Poética de Sophia de Mello Breyner Andresen (2011)

A Noite de Natal (2006)

O Búzio De Cós E Outros Poemas (1997)

Histórias Da Terra e do Mar (1984)

Livro Sexto (1962)

Contos Exemplares (1962)

Poemas escritos por Sophia de Mello Breyner Andresen

25 de Abril

A bela e pura

A hora da partida

A paz sem vencedor e sem vencidos

A pequena praça

As Amoras

As ondas

As pessoas sensíveis

As rosas

Ausência

Barco

Bebido o luar

Camões e a tença

Cantar

Cantata da paz

Chamo-Te

Data

Deriva - VIII

Destruição

Escuto

Espera

Espero

Esta gente

Este é o tempo

Eu contarei

Exílio

Fernando Pessoa

Hora

Jardim Perdido

Joelho

Liberdade (2)

Lusitânia

Mar

Mar sonoro

Musa

Navio naufragado

Níobe transformada em fonte

O mar dos meus olhos

O Piano sílaba por sílaba

O poema

O Rei da Ítaca

O teu rosto

Os Poetas

Para atravessar contigo o deserto do mundo

Pátria

Pirata

Poema

Poesia

Por Delicadeza

Porque

Pudesse Eu

Que nenhuma estrela queime o teu perfil

Retrato de uma princesa desconhecida

Rosto

Se tanto me dói que as coisas passem

Senhor

Soneto à maneira de Camões

Tapas os caminhos

Terror de te amar

Um dia

Vídeos de Sophia de Mello Breyner Andresen



Comentários

Precisa de se registar para aceder aos comentários.

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 43.31 %
Poesia 17.83 %
Também Escrevo 14.65 %
Escritores 11.46 %
Pensamentos 4.46 %
Adivinhas 2.55 %
Editoras 2.55 %
Provérbios 1.91 %
Vídeos 1.27 %

157 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2778 autores e 6789 obras.