Loading...

Poema e Poesia de Maria Teresa Horta

Porque das nádegas 
a curva 
sempre oferece 
a fenda 
o rio 
o fundo do buraco 

Para esconso uso do corpo 
nunca o fraco 
poder do corpo em torno desse vaso 

Ambiguo modo 
de ser usado 
e visto 

De todo o corpo 
aquele 
menos dado 

preso que está já 
do próprio vicio 
e mais não é que o limiar de um acto 

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 46.33 %
Poesia 17.51 %
Também Escrevo 14.12 %
Escritores 10.73 %
Pensamentos 3.95 %
Adivinhas 2.26 %
Editoras 2.26 %
Provérbios 1.69 %
Vídeos 1.13 %

177 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2825 autores e 6870 obras.