Loading...

Poema e Poesia de Maria Teresa Horta

São as tuas nádegas 
na curva dos meus dedos 

as tuas pernas 
atentas e curvadas 

O cravo – o crivo 
sabor da madrugada 
no manso odor do mar das tuas 
espáduas 

E se soergo com as mãos 
as tuas coxas 
e acerto o corpo no calor 
das vagas 

logo me vergas 

e és tu então 
que tens os dedos 
agora 
em minha nádegas 

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 46.81 %
Poesia 17.55 %
Também Escrevo 13.30 %
Escritores 10.11 %
Pensamentos 4.26 %
Adivinhas 2.66 %
Editoras 2.13 %
Provérbios 2.13 %
Vídeos 1.06 %

188 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2884 autores e 7000 obras.