Loading...

Poema e Poesia de Maria Teresa Horta

Vigilante a crueldade 
no meu ventre 

A fenda atenta 
e voraz 
que devora o que é 
dormente 

a febre que a boca 
empresta 
a vela que empurra o vento 

a vara que fende 
a carne 

a crueldade que entende 
o grito sobre o orgasmo 
que me prende e me desprende 

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 46.81 %
Poesia 17.55 %
Também Escrevo 13.30 %
Escritores 10.11 %
Pensamentos 4.26 %
Adivinhas 2.66 %
Editoras 2.13 %
Provérbios 2.13 %
Vídeos 1.06 %

188 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2884 autores e 7000 obras.