Poema e Poesia de José Carlos Ary dos Santos

Rosa Vermelha

Trago uma rosa vermelha
aberta dentro do peito
e já não sei se é comigo
se é contigo que me deito.

A minha rosa vermelha
mais parece uma romã
pois quando aberta de noite
não se fecha de manhã.

Trago uma rosa vermelha
na minha boca encarnada
quem me dera ser abelha
de tua boca fechada.

Trago uma rosa vermelha
não preciso de mais nada.

Pus uma rosa vermelha
na fogueira do teu rosto
mereço ser condenada
por crime de Fogo posto.

Trago uma rosa vermelha
que é minha condenação
condenada a vida Inteira
à fogueira da paixão

Tenho uma rosa vermelha
atrevida e perfumada
é uma rosa vaidosa
a minha rosa encarnada.

Trago uma rosa vermelha
não preciso de mais nada.

Voltar

Top 10 de vendas

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 33.33 %
Também Escrevo 17.54 %
Escritores 15.79 %
Poesia 12.28 %
Pensamentos 7.02 %
Adivinhas 5.26 %
Editoras 3.51 %
Vídeos 3.51 %
Provérbios 1.75 %

57 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2528 autores e 6307 obras.