Loading...

Poema e Poesia de Fernando Namora

Uma casa navega no tempo 
como um barco subindo o rio 
Por fim sem marinhagem por fim sem mastreação. 
Por fim ancorada nas janelas exorbitadas 
onde as luzes são paisagens lunares 
e o silêncio tem um perfil negro. 
Por fim ancorada nas abordagens sem presas. 

Ancorada a vedes: abrigo de cães. 

Em 'Nome Para Uma Casa'

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 46.33 %
Poesia 17.51 %
Também Escrevo 14.12 %
Escritores 10.73 %
Pensamentos 3.95 %
Adivinhas 2.26 %
Editoras 2.26 %
Provérbios 1.69 %
Vídeos 1.13 %

177 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2824 autores e 6872 obras.