Loading...

Poema e Poesia de Fernando Namora

Raro e vazio dia. 
Calmo e velho dia. 
Os membros lassos debruados deste cansaço sem porquê. 

Raro e vazio dia, 
assim inteiro e implacável 
na solidão grave e trágica do meu quarto nu. 

Perdido, perdido, este vagabundear dos meus olhos 
sobre os livros fechados e decorados, 
sobre as árvores roídas, 
sobre as coisas quietas, quietas... 

Raro e vazio dia 
na minha boca pálida e pouca, 
sem uma praga para quebrar a magia do ópio! 

Em 'Mar de Sargaços'

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 46.81 %
Poesia 17.55 %
Também Escrevo 13.30 %
Escritores 10.11 %
Pensamentos 4.26 %
Adivinhas 2.66 %
Editoras 2.13 %
Provérbios 2.13 %
Vídeos 1.06 %

188 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2884 autores e 7000 obras.