Loading...

Morte em Viena



Sinopse

Gabriel Allon, protagonista de "O Confessor" e de "O Príncipe de Fogo", é enviado a Viena para investigar o bombardeamento que causou a morte de um velho amigo. O encontro inesperado com uma figura traumática do seu passado mergulha-o num ajuste de contas pessoal e na procura obsessiva de um nome, de uma história, de um contacto. Finalmente, a verdade começa a emergir deixando um rasto de 60 anos de atrocidades e de milhares de vítimas.

Numa tarde de Outubro em Treblinka, lugar onde decorre o climax de “Morte em Viena”, Daniel Silva tentou imaginar os dois campos de concentração nazis (um para judeus e outro para polacos) onde há 50 anos foram exterminadas milhares de pessoas. A um visitante polaco que lhe perguntou o motivo da sua presença, Daniel Silva respondeu: “o meu povo foi assassinado aqui”. O interlocutor respondeu-lhe: “o meu também”.

É a memória do Holocausto em microcosmos aquilo que o autor tenta recuperar nesta “trilogia acidental” de que fazem parte “O Confessor” (25 mil exemplares vendidos em Portugal) e “Morte em Viena”. Registando testemunhos dos sobreviventes, histórias dos campos de extermínio e informação encontrada nos arquivos de Yad Vashem, monumento comemorativo oficial do Holocausto em Israel, Daniel Silva combina factos históricos e ficção.

Não é por acaso que Viena é o coração do romance: a Áustria não só produziu inúmeros oficiais das SS nazis como tem sido o refúgio por excelência de criminosos de guerra que nunca foram julgados. Daniel Silva escreveu "Morte em Viena" numa altura em que uma nova vaga de anti-semitismo reforçava as posições da extrema direita neste país. A Áustria foi também o país que mais se opôs ao programa “Operation Last Chance” do Centro Simon Wiesenthal lançado por Ephraim Zuroff, o principal impulsionador da perseguição a ex-agentes das SS nazis.

Extras

Daniel Silva, ex-produtor executivo da CNN e correspondente no Médio Oriente durante a guerra Irão-Iraque, trocou o jornalismo pelo thriller político e uma presença assídua no top do New York Times. Filho de imigrantes açorianos em Massachussets, Daniel Silva vendeu perto de 40 mil exemplares em Portugal e o seu último livro, “O Príncipe de Fogo”, esgotou duas edições num mês e meio. Em “Morte em Viena”, Gabriel Allon, talentoso restaurador de arte e agente dos serviços secretos de Israel, persegue um criminoso de guerra nazi até ao cerne de uma perturbadora tragédia pessoal. O autor insiste na impunidade do Holocausto: trata-se de “punir os culpados, mesmo que num sentido meramente ficcional”.

Comentários


Ainda não existem comentários para este livro.

Outros livros de Daniel Silva

Voltar

Área de utilizador

Top 10 de vendas

Novidades

Faça o login na sua conta do Portal