loading gif
Loading...

Sinopse

Em apreciação crítica à obra de Tolkien cuja edição portuguesa apresentamos, o Sunday Times escrevia que o mundo da língua inglesa se encontra dividido em duas partes: a daqueles que já leram O Senhor dos Anéis e aquelas que o vão ler.

Não se enganava o crítico ao indicar assim que estamos perante uma obra de leitura obrigatória, que, sem qualquer sombra de exagero, se insere entre as mais notáveis criações literárias do nosso século. Situando-se na linha de criação fantástica em que a literatura inglesa é fértil (lembramos Jonathan Swift com As Viagens de Gulliver, lembramos Lewis Carrol com a sua Alice nos País das Maravilhas), Tolkien oferece-nos uma obra verdadeiramente monumental, onde todo o mundo é criado de raiz, uma nova cosmogonia arquitectada por inteiro, uma irrupção de maravilhoso que é admirável jogo de criação pura. O sopro genial que perpassa na elaboração deste maravilhoso, traduzido sobretudo no realismo da narração, deixa no leitor o desejo irresistível de conhecer "esse" mundo que, como crianças, chegamos a acreditar que existe.
A Irmandade do Anel é o primeiro volume da trilogia O Senhor dos Anéis, em que se integram também As Duas Torres e O Regresso do Rei.

Críticas ao livro " O Senhor dos Anéis "

Fonte: Márcia Denardi
Tenho duas críticas a fazer; uma, em relação ao enredo do filme; a segunda, em relação à escrita de J. R. R. Tolkien, o autor da trilogia. Sobre o enredo só posso dizer que é uma aventura incrível, cheia de surpresas, aventuras, fantasias, do tipo que leitores como eu adoram. A história foi tão magnificamente desenvolvida, que, não é nenhuma novidade, foi parar nas telonas dos cinemas, e rendeu ótimas críticas, e até mesmo indicações ao Oscar. Então, sobre a história, só posso dizer que é encantadora. Agora tenho que fazer uma crítica um pouco mais negativa em relação à maneira como o autor escreve. Embora a cabeça dele seja genial, para inventar uma história tão brilhante, Tolkien se perde demais em detalhes e, em vários momentos, fiquei distraída e perdi o foco da leitura. Até pensei que pudesse ser uma característica de livros mais antigos, mas depois da última reunião que fizemos do Clube do Livro, acho que foi a Bruninha que me abriu a mente dizendo que existem muitos livros antigos que são muito ricos, milionários, em detalhes e ainda assim não dispersam a atenção. Então, de um modo geral, tenho que dizer que o enredo é tudo de bom, mas a obra peca é na maneira como é escrita. Agora vi que minha distração quando li O Hobbit, não teve nada a ver com minha terrível dor de estômago, conforme citei na resenha, foi por causa do próprio Tolkien.

Comentários


Ainda não existem comentários para este livro.

Avaliações

Diogo Curto avaliou com .

Outros livros de J. R. R. Tolkien

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal