loading gif
Loading...

Último Caderno de Lanzarote



Sinopse

«Duas razões me levaram, mais ou menos conscientemente, a escrever um diário: em primeiro lugar, a circunstância de ter saído do meu país para viver nesta ilha distante; em segundo lugar, a necessidade, que nunca experimentara antes, de “reter” o tempo, de o obrigar, por assim dizer, a deixar o maior número possível de sinais da sua passagem. 
"Cadernos de Lanzarote" é como uma longa carta enviada àqueles que ficaram no outro lado, mas é também um modo (vão, inútil, quem sabe mesmo se desesperado…) de fingir prolongar a vida por uma obstinada “escrituração” dos dias.

Os "Cadernos" não são um laboratório, embora não faltem neles reflexões sobre o “fazer” literário; não são um registo dos casos do mundo, embora abundem os comentários sobre a atualidade; não são uma coleção de dados para uma futura biografia, embora vão dizendo o que faço e o que penso. Como todo o diário (como toda a escrita), os "Cadernos de Lanzarote" são um exercício narcisista, mas, contra o que geralmente se crê, Narciso nem sempre gosta do que vê no espelho em que se contempla…»

Comentários


A mostrar os últimos 20 comentários:

Maria Areal , 14/10/2018 21:40

Sou fã de diários, especialmente depois de ter lido a Conta Corrente de Vergílio Ferreira.
Dizem muito de um autor, de uma época, de um tempo e de um espaço. sendo uma escrita independente assume ser mais verdadeira.
Parabéns para os Cadernos de Lanzarote

1 0

Avaliações

Maria Sousa avaliou com .
Maria Areal avaliou com .

Favoritos

José Carinhas adicionou aos favoritos
Ronaldo Santos adicionou aos favoritos
Avelino fonseca adicionou aos favoritos
Ana Souza adicionou aos favoritos
Fernando Pires adicionou aos favoritos
caroline adicionou aos favoritos
Maria Areal adicionou aos favoritos
João Lopes adicionou aos favoritos

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal