loading gif
Loading...

Último Caderno de Lanzarote



Sinopse

«Duas razões me levaram, mais ou menos conscientemente, a escrever um diário: em primeiro lugar, a circunstância de ter saído do meu país para viver nesta ilha distante; em segundo lugar, a necessidade, que nunca experimentara antes, de “reter” o tempo, de o obrigar, por assim dizer, a deixar o maior número possível de sinais da sua passagem. 
"Cadernos de Lanzarote" é como uma longa carta enviada àqueles que ficaram no outro lado, mas é também um modo (vão, inútil, quem sabe mesmo se desesperado…) de fingir prolongar a vida por uma obstinada “escrituração” dos dias.

Os "Cadernos" não são um laboratório, embora não faltem neles reflexões sobre o “fazer” literário; não são um registo dos casos do mundo, embora abundem os comentários sobre a atualidade; não são uma coleção de dados para uma futura biografia, embora vão dizendo o que faço e o que penso. Como todo o diário (como toda a escrita), os "Cadernos de Lanzarote" são um exercício narcisista, mas, contra o que geralmente se crê, Narciso nem sempre gosta do que vê no espelho em que se contempla…»

Comentários


A mostrar os últimos 20 comentários:

Maria Areal , 14/10/2018 21:40

Sou fã de diários, especialmente depois de ter lido a Conta Corrente de Vergílio Ferreira.
Dizem muito de um autor, de uma época, de um tempo e de um espaço. sendo uma escrita independente assume ser mais verdadeira.
Parabéns para os Cadernos de Lanzarote

1 0

Avaliações

Maria Areal avaliou com .

Favoritos

caroline adicionou aos favoritos
Maria Areal adicionou aos favoritos
João Lopes adicionou aos favoritos

Quem gostou deste livro também gostou de:

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal