loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Teixeira de Pascoais

Infância
Teixeira de Pascoais

Trágica Recordação

Meu Deus! meu Deus! quando me lembro agora 
De o ver brincar, e avisto novamente 
Seu pequenino Vulto transcendente, 
Mas tão perfeito e vivo como outrora! 

Julgo que ele ainda vive; e que, lá fóra, 
Fala em voz alta e brinca alegremente, 
E volve os olhos verdes para a gente, 
Dois berços de embalar a luz da aurora! 

Julgo que ele ainda vive, mas já perto 
Da Morte: sombra escura, abysmo aberto... 
Pesadêlo de treva e nevoeiro! 

Ó visão da Creança ao pé da Morte! 
E a da Mãe, tendo ao lado a negra sorte 
A calcular-lhe o golpe traiçoeiro! 

Teixeira de Pascoaes, in 'Elegias'

Voltar

Área de utilizador

Top 10 de vendas

Novidades

Faça o login na sua conta do Portal