loading gif
Loading...

Notícias



Novidades editoriais LeYa para Abril

23 Mar, 2021

Novidades editoriais da LeYa para o mês de Abril, entre elas, Da Meia-Noite às Seis, de Patrícia Reis (DOM QUIXOTE); Luto, de Eduardo Halfon (DOM QUIXOTE); A Cadela, de Pilar Quintana (DOM QUIXOTE); Chamada para o Morto, de John le Carré (DOM QUIXOTE); Rio Profundo, de Shusako Endo (DOM QUIXOTE); Arsène Lupin, de Maurice Leblanc (LeYa); Portugal, Ano 2071, de Isabel Lindim (OFICINA DO LIVRO) e Segredos Estilhaçados, de Hadley Freeman (CASA DAS LETRAS). 

Da Meia-Noite às Seis
Patrícia Reis
DOM QUIXOTE
Num mundo assolado pela instabilidade, a pergunta da canção de Caetano Veloso mantém-se: «Existirmos: a que será que se destina?»
Escrita num registo de intimidade que nos envolve, esta narrativa segue a vida, presente e passada, de personagens que se cruzam e cujas opções de vida reflectem o que é prioritário em tempos de pandemia.
Da Meia-Noite às Seis é o regresso de Patrícia Reis ao espaço literário que define a singularidade, a subtileza e a sabedoria da sua voz: o território da complexidade das relações humanas e da busca de identidade.
Nas livrarias a 6 de Abril

Luto
– Prémio do Melhor Livro Estrangeiro (França)
- Prémio Edward Lewis Wallant (EUA)
- Prémio Internacional do livro latino (EUA)
- Prémio das Livrarias de Navarra (Espanha)
Eduardo Halfon
DOM QUIXOTE - Tradução de J. Teixeira de Aguilar
Eduardo Halfon viaja até à velha casa dos avós, nas margens do lago de Amatitlán, onde em criança costumava passar os fins de semana antes de a família se transferir para a Florida, devido à violenta situação política vivida na Guatemala em princípios da década de 1980. A partir do momento em que pisa o Amatitlán, tudo aquilo que o cerca desencadeia um turbilhão de memórias – algumas ligadas à sua infância na Guatemala, outras dos primeiros anos passados nos EUA.
Em subtis mas magistrais pinceladas, as recordações de Halfon vão-se conjugando aos poucos para desvendar segredos familiares profundos: a história de Salomón ou, talvez mais rigorosamente, a ausência dessa história, uma vez que ninguém na família falava abertamente dele. E aos poucos começamos a ver as informações dispersas que Halfon conseguiu reunir em criança.
Com Luto, o autor regressa ao universo que tem vindo a construir em torno da personagem chamada Eduardo Halfon – que pode ou não ser o autor – e da história da sua família. Desta feita, centra-se no lado paterno da família: emigrantes judeus libaneses que se radicaram nos EUA e na Guatemala.
Nas livrarias a 6 de Abril

A Cadela
– Finalista do National Book Award em 2020
Pilar Quintana
DOM QUIXOTE - Tradução de Pedro Rapoula
Na costa da Colômbia virada ao Pacífico – num lugar onde a paisagem luxuriante contrasta com uma pobreza extrema e o homem é uma migalha diante da força dos elementos – vive Damaris, uma negra com cerca de 40 anos que toda a vida quis ser mãe. A sua relação com o marido tornou-se, aliás, fria e turbulenta à medida que o casal foi sacrificando tudo o que tinha à obsessão de Damaris e, apesar disso, ela nunca conseguiu engravidar. Mas a vida desta mulher frustrada parece encontrar uma réstia de esperança no dia em que adota a última cadelinha de uma ninhada. Só que, tal como os filhos nem sempre correspondem às ambições que os pais têm para eles, Chirli também não será a cadela com que Damaris sonhou.
Esta é uma novela brilhante sobre a maternidade, a traição, a lealdade, a culpa, e também sobre a relação enigmática e por vezes excessiva entre os donos e os seus animais.
Quando cada vez mais casais substituem os filhos por cães e gatos e muita gente afirma que quanto mais conhece as pessoas mais gosta de animais, eis um livro que não se pode deixar de ler.
Nas livrarias a 6 de Abril

Chamada para o Morto
– Primeiro livro de John le Carré
John le Carré
DOM QUIXOTE - Tradução de J. Teixeira de Aguilar
Após uma rotineira entrevista de segurança, George Smiley concluiu que o afável funcionário público Samuel Fennan não tinha nada a esconder. Mas, pouco tempo depois, o homem do Ministério dos Negócios Estrangeiros aparece morto e todas as circunstâncias são coerentes com um suicídio. Quando Smiley percebe que Maston, o chefe do Circus, está a tentar culpabilizá-lo por esta morte, desencadeia uma investigação por sua conta, procurando a viúva de Fennan a fim de averiguar o que o teria levado a semelhante ato de desespero. Quando expõe as suas descobertas a Maston, este afasta-o da investigação, mas nesse mesmo dia Smiley recebe uma carta urgente do falecido. Será que os alemães de Leste – e os seus agentes – sabem mais sobre a morte daquele homem do que o Circus imaginava?
Publicado pela primeira vez em 1961, esta edição tem a particularidade de incluir uma nova introdução do autor, escrita já em 2020, pouco antes do desaparecimento de le Carré, propositadamente para assinalar a passagem dos 60 anos deste livro.
Nas livrarias a 20 de Abril

Rio Profundo
Shusako Endo
DOM QUIXOTE - Tradução de José David Antunes
Tudo se passa nas margens do Ganges, o rio sagrado da Índia, em torno de cinco japoneses que para aí convergem numa viagem que é tanto física quanto espiritual. Assombrados pelo seu passado, todos eles enfrentam uma ampla gama de dilemas morais e vão em busca de algo que perderam. Isobe, que chora a morte da mulher, procura um sinal da sua reencarnação. Kiguchi, um sobrevivente dos horrores da guerra na selva da Birmânia, tem esperança de poder dar descanso às almas dos camaradas que viu morrer na Autoestrada da Morte. Numada, escritor de contos para crianças que se separou dos animais que amava e sobreviveu a uma doença grave, procura conforto junto da Natureza.
Mas o Ganges é também o local do reencontro de Otsu, um padre japonês rejeitado pelos seus irmãos católicos, e Mitsuko, a mulher que o seduziu nos seus tempos de estudante universitário e que o tentou arrancar à sua fé cristã.
Último romance do autor, Rio Profundo confirma todos os argumentos que levaram a crítica internacional a considerar Shusaku Endo um dos grandes escritores do século xx.
Nas livrarias a 20 de Abril

Arsène Lupin
Maurice Leblanc
LeYa - Tradução de Hugo Gonçalves
A bordo do transatlântico La Provence, enquanto a alta sociedade francesa se diverte, Arsène Lupin, o mais genial e sedutor ladrão procurado por toda a França, viaja entre os passageiros. É a grande oportunidade de Ganimard, o detective mais astuto de que há memória, capturar o homem capaz de realizar os crimes perfeitos e as fugas mais incríveis.
O formato deste livro também surpreenderá os leitores com lombada cozida à mão e sem corte a guilhotina, conferindo um aspecto de manuscrito, tal como terá sido entregue à editora nos primórdios da carreira deste mestre do crime que ainda hoje é lido por milhões de leitores em todo o mundo.
Arsène Lupin é o personagem que inspirou a série de sucesso LUPIN da Netflix e que transportará o leitor para fantásticas aventuras.
Nas livrarias a 6 de Abril

Portugal, Ano 2071
Isabel Lindim
OFICINA DO LIVRO
Por um lado, sofremos com o aumento da temperatura e com a diminuição da chuva que são próprios de um clima com influência mediterrânica; por outro, estamos expostos à agressividade do Oceano Atlântico, também ele vítima da poluição e das emissões de gases com efeito de estufa. Os fenómenos extremos vão intensificar-se em todo o mundo, mas é nas terras do litoral que as consequências serão mais severas – e o nosso país, à beira-mar plantado, está na linha da frente.
Este livro apresenta o impacto das alterações climáticas para os próximos cinquenta anos em Portugal. É uma projecção, não uma premonição. Foram ouvidos trinta especialistas de diferentes áreas, da geografia à biologia, da saúde à física.
Por sermos um país que reúne tanto conhecimento científico, existe uma esperança de que as medidas necessárias sejam concretizadas. Ainda estamos a tempo de evitar o pior dos cenários. Saiba o que pode, ou não, acontecer.
Nas livrarias a 20 de Abril

Segredos Estilhaçados
Hadley Freeman
CASA DAS LETRAS - Tradução de Paula Caetano
Hadley Freeman sabia que a sua avó Sara vivia em França quando Hitler começou a ganhar poder, mas raramente alguém da sua família falava no assunto. Muito tempo após a morte da avó, Hadley encontrou uma caixa de sapatos escondida no roupeiro, contendo fotografias da antepassada com um desconhecido misterioso, um telegrama enigmático da Cruz Vermelha e um desenho assinado por Picasso.
Perante esta descoberta, Freeman lançou-se numa busca, ao longo de uma década, para descobrir o significado dessas recordações, que a levou dos arquivos de Picasso, em Paris, até a uma sala secreta numa quinta na Auvergne, e de Long Island a Auschwitz.
Freeman junta as peças do quebra-cabeça do passado da sua família, descobrindo mais sobre a vida da avó e dos três irmãos dela, Jacques, Henri e Alex.
As suas histórias, ora comuns, ora surpreendentes, revelam o vasto leque de experiências vividas pelos judeus da Europa de Leste durante o Holocausto.
Nas livrarias a 20 de Abril

Comente esta notícia


Ainda não existem comentários para esta notícia.

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal