loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Miguel Torga

Vida
Miguel Torga

Calmaria

Nada!
Horas e horas neste ponto morto
Onde caiu agora a minha vida...
Nem um desejo, ao menos!
Só instintos pequenos:
Apetite de cama e de comida!

Nem sequer ler um livro
Ou conversar comigo, discutir...
Nada!
Neutro, morno, a dormir
Com a carne acordada.

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal