Loading...

Poema e Poesia de José Régio

Dentro de mim me quis eu ver. Tremia, 
Dobrado em dois sobre o meu próprio poço... 
Ah, que terrível face e que arcabouço 
Este meu corpo lânguido escondia! 

Ó boca tumular, cerrada e fria, 
Cujo silêncio esfíngico bem ouço! 
Ó lindos olhos sôfregos, de moço, 
Numa fronte a suar melancolia! 

Assim me desejei nestas imagens. 
Meus poemas requintados e selvagens, 
O meu Desejo os sulca de vermelho: 

Que eu vivo à espera dessa noite estranha, 
Noite de amor em que me goze e tenha, 
...Lá no fundo do poço em que me espelho! 

José Régio, in 'Biografia'

Voltar

Top 10 de vendas

Novidades

Questão

Qual a secção do Portal da Literatura de que mais gosta?

Livros 46.91 %
Poesia 17.53 %
Também Escrevo 13.40 %
Escritores 10.31 %
Pensamentos 4.12 %
Adivinhas 2.58 %
Editoras 2.06 %
Provérbios 2.06 %
Vídeos 1.03 %

194 voto(s) até ao momento

Para poder votar é necessário estar registado no Portal da Literatura.
Registe-se

Este website contém 2910 autores e 7043 obras.

Subscreva a Newsletter do Portal da Literatura

E recebe os destaques e as novidades no seu email.