loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Natália Correia

Destino
Natália Correia

Ó Véspera do Prodígio

Além do sol, além do Sete-Estrelo 
Uma última Tule me subentende. 
O caminho pra mim não sei. Sabe-lo 
Será ciência que a morrer se aprende? 

Passo ou sou? Deuses, quem quebra o selo? 
Quando entro em mim outrem me surpreende 
Que um génio zombador tem por modelo. 
Onde o esquivo lar desse duende? 

Seja quem for o eu que em mim recluso 
Alheio fado cumpre, é vácuo o uso 
Que do Dom de pensar em vão fazemos. 

Melhor é ir. Atravessar o muro, 
Seguir na barca que passa o golfo escuro 
E ao Grande Enigma abandonar os remos.

em "Sonetos Românticos"

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal