loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Natália Correia

Destino
Natália Correia

Palavras de água

Fechei-me dentro dos muros
onde o meu corpo não cabia
contente de ser prisioneira
do cárcere que eu transcendia.

E fui no vento que tudo
tudo o que havia varria,
contente de ser mais veloz
que o vento que me impelia.

Fiquei suspensa dos ramos
que os meus cabelos prendiam
contente de ser o destino
da árvore em que me fundia.

E dei-me como leito às águas
dos sonhos que me transcorriam
contente de ser o curso
da água em que me esvaía.

Voltar

Área de utilizador

Top 10 de vendas

Novidades

Faça o login na sua conta do Portal