loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Manuel Maria Barbosa du Bocage

Amor
Manuel Maria Barbosa du Bocage

Olhos Suaves, que em Suaves Dias

Olhos suaves, que em suaves dias 
Vi nos meus tantas vezes empregados; 
Vista, que sobra esta alma despedias 
Deleitosos farpões, no céu forjados: 

Santuários de amor, luzes sombrias, 
Olhos, olhos da cor de meus cuidados, 
Que podeis inflamar as pedras frias, 
Animar cadáveres mirrados: 

Troquei-vos pelos ventos, pelos mares, 
Cuja verde arrogância as nuvens toca, 
Cuja hrrísona voz perturba os ares: 

Troquei-vos pelo mal, que me sufoca; 
Troquei-vos pelos ais, pelos pesares: 
Oh câmbio triste! oh deplorável troca! 

Em 'Rimas'

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal