loading gif
Loading...

A Nossa Parte da Noite

Mariana Enriquez

2020 Quetzal Editores

Sinopse

A Nossa Parte da Noite, o aguardado livro da argentina Mariana Enriquez, é um romance épico, gótico, múltiplo, uma mescla de géneros e tradições literárias e onde as personagens atravessam mundos e submundos. Os temas universais da família, do poder e da eternidade cruzam-se com os de sociedades secretas e seres obscuros que procuram redefinir a natureza da vida e da morte - o terror sobrenatural entrecruza-se com terrores muito reais. Em tempos de ditadura militar, um pai e um filho atravessam a Argentina de carro, desde Buenos Aires até às cataratas de Iguaçu. Pelo caminho há operações de controlo militar e o clima geral é de grande tensão. O pai tenta proteger o filho, Gaspar, de um destino que parece estar traçado. A mãe morreu em circunstâncias pouco claras. Tal como o pai, Gaspar foi chamado a ser médium numa sociedade secreta, A Ordem — já com séculos de existência —, dominada pela poderosa família da mãe de Gaspar. O destino do médium é cruel, pois o seu desgaste físico e mental é rápido e implacável.

Desta inicial viagem de carro partimos para uma outra viagem alucinante - com passadiços que escondem monstros inimagináveis; interiores de casas que comportam abismos e mudam subitamente sem a intervenção humana; com enigmáticas liturgias sexuais; andanças pela Londres psicadélica dos anos sessenta; a ditadura militar, os desaparecidos; e a incerta chegada da democracia.

Considerado pelo júri do Prémio Herralde «o novo «grande romance latino-americano», na senda de Rayuela, Paradiso, Cem Anos de Solidão ou 2666, A Nossa Parte de Noite é um romance total e deslumbrante que consagra Mariana Enriquez como uma escritora fundamental das letras latino-americanas do século XXI.

Extras

«Uma escritora dotada. Escreve as suas histórias com base numa atmosfera de verdade, com um descritivo e sombrio matiz poético.»
Patti Smith

«Mariana Enriquez é uma escritora fascinante que é imperioso ler. Como a Bolaño, interessam-lhe as questões sobre a vida e a morte; a sua ficção atinge-nos com a força de um comboio de mercadorias.»
Dave Eggers

«Um prodigioso cruzamento entre a reescrita de certas tradições e essa lucidez atroz a que chamamos um olhar próprio.»
Andrés Neuman

«Mariana Enríquez goza de um merecido reconhecimento. A sua escrita possui qualidades raras como a condensação e uma sugestiva frialdade. Uma prosa com peso específico.»
Carlos Pardo, El País

«Um romance total, tão ambicioso e desmesurado como 2666 de Roberto Bolaño.»
Júri do Prémio Herralde. El País

Comentários


Ainda não existem comentários para este livro.

Favoritos

Joaquim Gonçalves adicionou aos favoritos

Quem gostou deste livro também gostou de:

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal