Loading...

Maigret e o Seu Morto



Sinopse

«— Desculpe, minha senhora…
Ao cabo de muitos minutos de pacientes esforços, Maigret conseguia, finalmente, interromper a visita…
— A senhora, agora, diz que a sua filha está a envenená­‑la lentamente…
— É a pura verdade…
— Há pouco, a senhora afirmou­‑me com não menos veemência que o seu genro tratava de se cruzar com a criada, no corredor, para deitar veneno no café da senhora ou numa das suas numerosas tisanas…
— É a pura verdade…
— Todavia… — consultou ou fingiu consultar as notas que tomara no decurso da conversa, a qual durava havia mais de uma hora — a senhora informou­‑me, para começar, que a sua filha e o seu marido odiavam­‑se…
— É a pura verdade, Sr. comissário.
— E concordam ambos em suprimir a senhora?
— Não, de maneira nenhuma! Eles querem envenenar­‑me separadamente, compreende?…»

Extras

“Um dos maiores escritores do século XX.” - The Guardian

“Adoro ler Simenon. Faz-me lembrar Tchékhov.” - William Faulkner

“Obras-primas do século XX.” - John Banville

“O maior e mais genuíno romancista de toda a literatura.” - André Gide

"Um Escritor maravilhoso… Lúcido, simples, em perfeita sintonia com o que escreve.” - Muriel Spark

Comentários


Ainda não existem comentários para este livro.

Voltar

Subscreva a Newsletter do Portal da Literatura

E recebe os destaques e as novidades no seu email.