loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Florbela Espanca

Sinto hoje a alma cheia de tristeza! 
Um sino dobra em mim Ave-Maria! 
Lá fora, a chuva, brancas mãos esguias, 
Faz na vidraça rendas de Veneza ... 

O vento desgrenhado chora e reza 
Por alma dos que estão nas agonias! 
E flocos de neve, aves brancas, frias, 
Batem as asas pela Natureza ... 

Chuva ... tenho tristeza! Mas porquê?! 
Vento ... tenho saudades! Mas de quê?! 
Ó neve que destino triste o nosso! 

Ó chuva! Ó vento! Ó neve! Que tortura! 
Gritem ao mundo inteiro esta amargura, 
Digam isto que sinto que eu não posso!! ... 

em "Livro de Mágoas"

Voltar

Área de utilizador

Top 10 de vendas

Novidades

Faça o login na sua conta do Portal