loading gif
Loading...

Poema e Poesia de Mia Couto

Destino
Mia Couto

Destino

à ternura pouca 
me vou acostumando 
enquanto me adio 
servente de danos e enganos 

vou perdendo morada 
na súbita lentidão 
de um destino 
que me vai sendo escasso 

conheço a minha morte 
seu lugar esquivo 
seu acontecer disperso 

agora 
que mais 
me poderei vencer? 

Em "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"

Voltar

Área de utilizador

Top 10 de vendas

Novidades

Faça o login na sua conta do Portal