Loading...

Poema e Poesia de Fernando Namora

Meu corpo estiraçado, lânguido, ao logo do leito. 

O cigarro vago azulando os meus dedos. 

O rádio... a música... 

A tua presença que esvoaça 
em torno do cigarro, do ar, da música... 

Ausência!, minha doce fuga! 

Estranha coisa esta, a poesia, 
que vai entornando mágoa nas horas 
como um orvalho de lágrimas, escorrendo dos vidros 
duma janela, 

numa tarde vaga, vaga... 


Em 'Mar de Sargaços'

Voltar

Subscreva a Newsletter do Portal da Literatura

E recebe os destaques e as novidades no seu email.