loading gif
Loading...

O Medo



Sinopse

«O Medo» reúne toda a poesia de Al Berto.

encosta-te à parede
deixa o fluxo da dor circular
por dentro das imagens febris — agarra o feixe
de cordas de ar — vai
pelo rastro das etéreas aves — chama-as
ao jardim imaginado e dá-lhes a beber
as visões de cinza quente

chama a noite e lança dentro dela
a águia dos mares — a flor escura do sangue
transforma-a em navio rompendo
a bruma deste inverno sem memória

deixa o corpo viajar no desalento
essa fonte do inesgotável canto — melancolia
que os remédios não curam

encosta-te à parede
escuta a inesperada mudez do talento

Extras

Excerto
«regressa do túmulo dos mares do sul
enterra os dedos na penumbra que separa o dia
da noite das cidades recorda o restolhar das serpentes
a seiva lívida do loureiro estremecendo ao sentir
o rosto da criança que foste contra o tronco
 
na tua memória já não existem paisagens de ossos
nem pássaros nem punhais de luz dentro da insónia
a criança que em ti morreu crescendo
usou sapatos com atacadores e gravata
pela primeira vez foi ao cinema sozinha
com o olhar turvo de melancolia anda por aí
à procura de quem a queira»

Comentários


A mostrar os últimos 20 comentários:

Jaime Crespo , 14/01/2019 22:28

um grande poeta e uma poesia extraordin+aria.

0 0

Avaliações

André Teixeira avaliou com .
Jaime Crespo avaliou com .
António Barata avaliou com .
Sérgio Proença avaliou com .

Favoritos

Alex adicionou aos favoritos
André Teixeira adicionou aos favoritos
Jaime Crespo adicionou aos favoritos
António Barata adicionou aos favoritos
Sérgio Proença adicionou aos favoritos

Voltar

Faça o login na sua conta do Portal